[spoiler] Como foi ver a pré-estreia de “O Despertar da Força” e o que eu achei do filme

Estou escrevendo este texto na segunda-feira então penso que já tenha dado tempo para ir ao cinema ver o filme. Caso este não seja seu caso fica um alerta o texto abaixo contém spoilers do filme. Se você não quer saber detalhes do episódio VII não continue lendo.

Abaixo conto um pouco da minha experiência ao ver o filme a as minhas opiniões sobre ele. Sim o filme é maravilho, vale a pena ir assistir mesmo que você não conheça os outros e eu adorei, sendo o segundo melhor de toda a saga na minha opinião.

[Spoiler]

Fui ver a pre-estreia num cinema de um Shopping aqui em SJCampos e me surpreendi com poucos fãs com cosplay. E muitos, muitos adolescentes e alguns pais com filhos pequenos.

Na sessão que eu fiquei tive a impressão de não ter muitos fãs antigos então não tinha muita comoção quando a Millenium apareceu ou em momentos chaves do filme. Em alguns momentos confesso que chorei muito, principalmente ao ver o Harrison Ford tão meninão nessa filme.

O produtor Bryan Burk, que trabalhou ao lado do diretor J.J. Abrams, participou de um painel na última CCXP onde disse claramente que era um filme para novos fãs. E há uma lógica nisso $$$ e sim faz sentido, já que estamos falando numa indústria do entretenimento.

Abrams tinha um abacaxi na mão, que é uma legião de fãs que tiveram tempo para dissecar tudo do filme, Discussões sobre roupas, dinastias Jedis, obras do universo expandido. Então penso que deve ter sido uma equação difícil ter a missão de criar novos fãs x atender fãs que sabem a cor da fivela de cada Jedi.

E sinceramente acho que eles conseguiram num filme que a o meu ver paga essa dívida, como quem diz “ok fãs tinha tudo aqui, agora deixe-nos seguir em outros caminhos, venham com a gente”. Há detalhes estéticos primorosos, como as transições de imagens antigas iguais aos primeiros filmes e as naves e equipamentos de guerra jogados em Jakku que fazem referências importantes ao passado, mas de uma forma sutil.

E lá vamos nós para uma receita de bolo consagrada da Saga do Herói. É quase uma fórmula aparece o Droid, ele tem uma missão, aparecem novos personagens. Eles tem dilemas, ameaçam abandonar a saga principal, entram em conflitos, voltam para a saga e cumprem sua missão predestinada. Igualzinho o que já vimos antes.

Como mexer em algo que sabidamente funciona? Não mexer! E achei que funcionou bem.

O ponto alto para mim foi a morte do Hans Solo e do fatiamento do Kylo Ren pela Rey (que deve dar um bom desdobramento). E o BB-8 que rouba a cena com seu carisma e jeito de interagir com os humanos de forma muito peculiar.

Eu achei que duas horas ficou pouco e alguns desdobramentos ficaram superficiais e algumas histórias contadas rapidinho demais e rezando para que saia uma versão digital com pelo menos meia hora de cenas extas (rsrsrs)

E juro que queria só um pouquinho mais do Luke e sua história se pudesse teria filmado minha cara de ódio ao ver que eles deixaram justamente isso pro final – já que uma das maiores perguntas sobre os traillers era porque raios o Luke não apareceu em nenhum. Ficaram então muitas perguntas para o próximo episódio de Lost Star Wars. E cabe saber se agora com alguns demônios exorcizados a saga (e possíveis desdobramentos em seriados e filmes de personagens solo) vai continuar se mantendo grandiosa.

Levem em conta que eu sou fanboy de Star Wars e que até os polêmicos episódios 1,2 e 3 eu gosto

Comentários - Facebook