Como mostrar Star Wars às crianças

Por Marcelo Forlani*

Uma das perguntas mais recorrentes no meu e-mail e redes sociais é: “No papel de mestre Jedi, como devo começar o treinamento de meu pequeno Padawan?”. Se o seu filho ou filha for pequeno, pode começar a história pelo Episódio I – A Ameaça Fantasma, o filme mais infantil das duas trilogias e que mostra Anakin (Jake Lloyd) sendo descoberto. O início da saga dos Skywalker, a introdução a um Obi-Wan Kenobi (Ewan McGregor) ainda em treinamento e toda a apresentação do universo é bastante didática. E ainda tem o poderoso Darth Maul (Ray Park) e seu sabre de luz de duas pontas e a corrida de pod, que certamente farão qualquer criança sair correndo e pulando pela casa.

Por fim, esta é uma oportunidade única de fazer o Jar Jar Binks ser amado. O personagem execrado pelos nerds daqui e de galáxias muito, muito distantes, foi uma aposta de George Lucas para atrair a molecada. O resultado deixou muito marmanjo bravo, mas se você assistir ao filme ao lado de uma criança, vai ver que o gungan foi, na verdade, um acerto. As crianças adoram as trapalhadas do orelhudo de língua mole.

O Episódio II – O Ataque dos Clones e o Episódio III – A Vingança dos Sith, porém, que seguem a história do jovem Anakin até se tornar o Darth Vader, são mais sombrios e podem não ser a sequência mais correta de introdução à saga se seu filho ou filha não tiver pelo menos uns 7 ou 8 anos. Por isso, a minha indicação é seguir a ordem de lançamento dos filmes no cinema – iniciando com Episódio VI – Uma Nova Esperança, passando por Episódio V – O Império Contra-Ataca seguido de Episódio VI – O Retorno de Jedi e o recente Episódio VII – O Despertar da Força, só então, ver os episódios I, II e III e Rogue One – Uma História Star Wars.

Foi nesta ordem que os nerds mais velhos viram a história sendo contada e foi assim que George Lucas optou por contá-la. Ele poderia ter começado a história pelo Episódio I, mas em 1977 o letreiro amarelo que subia na tela já falava de uma guerra civil em andamento e naves rebeldes vencendo sua primeira batalha contra o diabólico Império Galático.

Eu, na minha ansiedade de explicar logo para meu filho quem eram Luke, Leia e o “cara de máscara e capa preta”, acabei contando que eles eram filhos do Anakin, perdendo a chance de ver sua reação ao assistir à famosa cena em que Vader revela “Eu sou seu pai”.

Fui júnior. Fui mirim. E por isso perdi a chance de fazer um filme como este: www.youtube.com/watch?v=MHSAD1d-Mdk. Mandei mal, mas estou aqui passando este ensinamento Jedi adiante para que você não cometa o mesmo erro. Vamos criar um mundo mais nerd. Uma criança de cada vez. 😉

*Marcelo Forlani é pai do Theo e da Liz e um dos criadores do Omelete (www.omelete.com.br), maior portal de cultura pop da América Latina.

Sobre o Omelete Group:

Maior conglomerado dedicado aos fãs de cultura pop do Brasil, o Omelete Group utiliza seu site, redes sociais e parceiros para atingir mensalmente mais de 9 milhões de pessoas ávidas por novidades dos mundos do cinema, series de TV, games, música e histórias e quadrinhos com textos, vídeos e posts nas redes sociais.

Fazem parte do Omelete Group:

Omelete – site que está no ar desde 2000 e é o maior e mais relevante voltado ao entretenimento. Conta ainda com o maior canal de vídeos do YouTube, o Omeleteve, dedicado a notícias geek do país, com 12 milhões de views mensais, página no Facebook com 1,8 milhão de fãs e milhares de seguidores no Instagram, Twitter e Snapchat;

CCXP – Comic Con Experience – maior evento de cultura pop do mundo, reuniu em sua terceira edição 196 mil pessoas nos quatro dias de convenção em 2016, tornando-se referência internacional;

Social Comics – inovador serviço de streaming de histórias em quadrinhos que funciona como a Netflix das HQs.

Loja Mundo Geek – a mais reconhecida loja de produtos licenciados da internet brasileira, com vasto catálogo de produtos, comercialização de ingressos da CCXP e gerenciamento de lojas durante o evento;

Comentários - Facebook